Como funcionam as torneiras com sensor?

As torneiras com sensor fazem parte das conveniências de banheiros, cozinhas e ambientes de trabalho modernos. Elas eliminam a necessidade de tocar o dispositivo com as mãos sujas e ajuda a economizar água com seu desligamento automático. Embora as torneiras com sensor venham em uma série de estilos, a maioria funciona de acordo com os mesmos princípios básicos.

Peças de Torneiras com Sensor

As torneiras com sensor usam as mesmas peças básicas que as torneiras convencionais. Isso quer dizer que elas aparecem em uma grande variedade de cores, estilos e materiais. O corpo da torneira inclui um cano interno conectado a uma corrente de água, junto com uma cobertura externa decorativa. Elas também possuem compartimentos integrados que contem os componentes eletrônicos em vez de botões ou alavancas físicas. No entanto, algumas torneiras também incluem botões para anularem o fator eletrônico.

Funcionamento eletrônico de Torneiras com Sensor

O centro do funcionamento básico de uma torneira com sensor é uma válvula solenoide que controla um pistão dentro do cano da torneira. Em repouso, o pistão bloqueia o fluxo de água. Quando uma carga é aplicada, a válvula solenoide engata e tira o pistão do caminho, permitindo que a água flua instantaneamente. O solenoide ficará engatado enquanto a carga for aplicada.

Funcionamento do sensor

A válvula solenoide de uma torneira com sensor é conectada a um sensor eletrônico, que envia um sinal para aplicar uma mudança que engata o solenoide. O sensor pode ser óptico, que sente a presença das mãos da pessoa, ou de toque, que registra pressão. Em qualquer um dos casos, o sensor está sempre atraindo uma pequena carga eletrônica. Remover uma obstrução do separador em frente a um sensor óptico ou reduzir a pressão em um sensor de toque registra um sinal para desengatar o solenoide, permitindo que o pistão bloqueie novamente o fluxo de água.

Fontes de energia

Uma fonte de energia fornece eletricidade para ligar o sensor de uma torneira com sensor e engatar o solenoide durante o uso. Esta fonte pode ser uma bateria ou um transformador que permite que a torneira utilize a energia da casa. Em ambos os casos, o fato do solenoide não usar energia alguma quando não está engatado faz das torneiras com sensor relativamente eficientes. As torneiras à bateria precisarão ter as baterias trocadas ocasionalmente. Quando houver pouca carga para acionar o solenoide ou quando a energia cair em caso de uma torneira com fio, o pistão simplesmente continuará na posição fechada, eliminando o risco de desperdício de água.

Confira nossos modelos de Torneiras Eletrônicas com Sensor

Diferenças de Torneiras com sensor Nacionais e Importadas

O mercado hoje oferece grande variedade de torneiras com sensor eletrônicas, mas como escolher o modelo para efetuar uma boa compra?

Um dos principais fatores é a pressão de água, modelos nacionais já estão adequados para a pressão que trabalhamos no Brasil.
Modelos importados geralmente trabalham somente com alta pressão, neste caso seu funcionamento é afetado quando instalado em baixa pressão, muitas vezes não funcionam ou tem sua vida útil muito reduzida.

A garantia e assistência técnica é outro diferencial, pois nos modelos nacionais encontramos facilmente peças para reposição e assistência técnica dos produtos.
Em outros modelos importados, essa assistência se torna mais complicada por não encontrar peças para reposição tão facilmente.

Outro fator é a voltagem, os modelos nacionais são bivolt 110/220 V e possui a opção de trabalhar com pilhas, em caso de queda de energia passa a trabalhar com elas automaticamente.
Os modelos importados dificilmente são bivolt e nem todos possuem a opção de trabalhar com pilhas.